Noticias

Oportunidades e resultados da política de PD&I são destacados em Jornada da Suframa no Acre

As palestras relacionadas às ações estruturantes para o desenvolvimento regional e ao funcionamento e oportunidades da política de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), bem como os investimentos realizados pelos programas prioritários na área, nos estados da Amazônia Ocidental e Amapá, foram destacados durante a programação vespertina da Jornada de Integração Regional e Interiorização do Desenvolvimento do Acre – 2024, realizada nesta quarta-feira (12), no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac). O evento vai até quinta-feira (13) e tem transmissão pelo canal do YouTube do governo do Estado do Acre.

Além da apresentação das ações estruturantes, feita pelo técnico da Coordenação-Geral de Desenvolvimento Regional da Suframa, Doriel dos Santos, a engenheira e técnica da Coordenação de Articulação Tecnológica da Autarquia (ligada à Superintendente-Adjunta de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica-SDI), Taynara Bezerra, destacou a evolução das obrigações em PD&I, geradas pela produção de Bens de TIC por mais de 50 empresas dentro do Polo Industrial de Manaus (PIM).

“Para os Bens de TIC, só em 2023, esse é nosso dado atualizado, nós tivemos um faturamento de R$ 42 bilhões dessas empresas, que continua valor expressivo no PIM. E como obrigação, tivemos R$ 1,46 bilhão para investir em PD&I”, frisou Taynara, que precedeu as palestras do Banco da Amazônia (Basa) sobre Fundos de Inovação, e da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), referente ao Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia Legal 2024/2027.

Os programas prioritários são uma das modalidades em que as empresas do segmento de Bens de Informática podem investir os recursos da Lei n° 8.387/1991, conhecida como Lei de Informática, destinados a aplicação em atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) na Amazônia Ocidental e Amapá.

No Estado do Acre, os três programas prioritários somam R$ 6,30 milhões de investimentos, sendo a maioria concentrada em Rio Branco. “É importante que mais institutos e startups apresentem projetos que possam receber esses recursos de PD&I, por isso os programas estão organizando o Pitch Day, nesta quinta-feira, e assim consolidarmos a política de descentralização dos recursos para toda a Amazônia Ocidental e Amapá”, destacou o superintendente-adjunto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica da Suframa, Waldenir Vieira.

PPBIO
O Programa prioritário de Bioeconomia (PPBIO), que é coordenado pelo Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam), foi apresentado pelo diretor de Inovação em Bioeconomia do Instituto, Carlos Koury. Ele apresentou os eixos e as áreas de atuação do PPBIO, que são em cadeias produtivas amazônicas, políticas para a Amazônia, bioempreendedorismo feminino e indígena, gestão de negócios para empresas investidoras e ativos para a indústria do Polo Industrial de Manaus (PIM).

No Acre, o PPBIO, possui três projetos que somam R$ 1,56 milhões em investimentos. Durante a apresentação, Koury entregou um certificado de investimento ao CEO fundador da startuo Hylaea, acompanhada pela incubadora do CIDE, no valor de R$ 530 mil para obtenção e comercialização do insumo farmoquimico Voacangina, produzido a partir de matéria-prima vegetal amazônica sustentável, para transferência ou licenciamento da sua tecnologia de obtenção no segmento farmoquímico.

Outro projeto, já em andamento, é o desenvolvimento de formulação e elaboração de um dermocosmético à base da seiva sangue de dragão para atenuar cicatrizes e queloides, no valor de R$ 500 mil.

O terceiro projeto está relacionado a tecnologias de biorremediaçao tratamento e reaproveitamento de resíduos, com a criação do Sistema de Descontaminação de Castanha-do-brasil por UV#C Modulada (FLAFREE), que propõe a utilização de luz ultravioleta para a eliminação de microrganismos e para a degradação de aflatoxinas em castanha-do-brasil, no valor de R$ 538,5 mil.

Também foi apresentado o case de sucesso do Wood-chat, chatbot orientado ao diálogo no WhatsApp API Oficial para a identificação de madeira da Floresta Amazônica baseada em visão computacional.

PPI 4.0
A gestora de Novos Negócios do Centro Internacional de Tecnologia de Software (CITS), Vania Vial, apresentou o Programa Prioritário Indústria 4.0 e Modernização Industrial (PPI4.0), coordenado pela instituição.

O CITS conta com 55 empresas investidoras no PPI4.0, 58 parceiros executores do programa com mais de 200 projetos ativos e mais R$ 300 milhões em projetos, entre os já finalizados e em execução. “Convido vocês a irem a Manaus para conhecer as empresas do Polo Industrial, que são os investidores, detentores dos recursos da Lei de Informática. O CITS tem o papel de articulador entre os investidores e os executores, com o desafio de transformar a Amazônia Ocidental e Amapá”, afirmou.

No Acre, o CITS conta com quatro projetos em andamento, todos no desenvolvimento de Recursos Humanos e que foram apresentados durante o evento.

O primeiro é o projeto de iniciação tecnológica “Eu programo robôs”, no valor de R$ 1,29 milhão em aportes, que oferece dois cursos de extensão, conforme o estágio desejado de maturidade da formação, visando à iniciação tecnológica de estudantes e professores em programação aplicada à robótica.

O segundo é o projeto “Mão na Massa na Indústria 4.0”, para promover o aprendizado e o desenvolvimento de habilidades necessárias acerca da modernização e digitalização da indústria para jovens estudantes do Instituto Federal do Acre (IFAC) e da comunidade de Rio Branco, no valor de R$ 747 mil.

Há, ainda, os projetos de capacitação em Robótica + IoT, no valor de R$ 956,56 mil, com quatro turmas e 200 alunos; e de capacitação IoT para a Indústria 4.0, no valor de R$ 1,29 milhão, com 600 alunos em três trilhas: inteligência artificial, IoT e manufatura aditiva, ambos com a execução da Universidade Federal do Acre (Ufac).

PPEI
O Programa Prioritário de Fomento ao Empreendedorismo Inovador (PPEI), coordenado pela Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), foi apresentado pelo coordenador da Softex, Renato Vernaschi. A Softex Amazônia conta com 20 instituições executoras e 39 projetos executados em 19 cidades da Amazônia Ocidental e Amapá. “São mais de R$ 50 milhões investidos 7,7 milhões de pessoas impactadas com os projetos”, destacou.

No Acre, o PPEI coordena o projeto “Trilha Jovem Empreendedor 4.0”, que tem a execução do Instituto Federal do Acre (Ifac), com aporte de R$ 500 mil e turmas no campus Rio Branco e em Cruzeiro do Sul. Pela manhã, houve a certificação de 20 alunos do projeto, do campus Rio Branco, que já finalizaram as atividades.

Jornada
Organizada pela Suframa, a Jornada visa disseminar os benefícios da Zona Franca de Manaus (ZFM) e fortalecer a interação com os estados da Amazônia Ocidental e Amapá, além de contribuir para o avanço do ambiente de negócios na região.

Participam das atividades no Acre pela Autarquia os superintendentes-adjuntos Executivo, Luiz Frederico Aguiar; de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica, Waldenir Vieira; e de Administração, Carlito Sobrinho; além do coordenador da Área de Livre Comércio de Rio Branco, Jéfferson Barroso, servidores da sede em Manaus e da unidade de Rio Branco.

O evento segue na manhã de quinta-feira (13) com informações sobre incentivos fiscais na região, com foco nos regimes da Amazônia Ocidental e das Áreas de Livre Comércio (ALCs), orientações sobre cadastro, compra nacional e importação incentivada na Suframa, e como apresentar projetos na Autarquia, além do Pitch Day, durante todo o dia, organizado pelos Programas Prioritários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo